O que Cremos

A Palavra de Deus

A palavra de Deus, ou Escrituras Sagradas, ou Bíblia, é um registro inspirado por Deus, revelando-nos a Sua vontade. Possibilita, portanto, o conhecimento de Deus; preserva e propaga a verdade, contra a corrupção da carne, malícia de satanás e do mundo.
II Pedro 1: 19-21; II Timóteo 3:16; I Tessalonicenses 2:13; I Coríntios 1:21.

É composta de 39 livros no Velho Testamento e 27 no Novo Testamento, num total de 66 livros.

Todo o conselho de Deus concernente a todas as coisas necessárias para a glória de Deus e para a salvação, fé e vida do homem, ou é expressamente declarado na Escritura, ou pode ser lógica e claramente deduzido dela. Faz-se necessária, entretanto, a íntima iluminação do Espírito Santo. Ele, através da testificação da Palavra em nossos corações, nos dará plena certeza da verdade.
João 16:13-14; I Coríntios 2: 9-12; Gálatas 1:8-9.

Para interpretação da Palavra de Deus, o melhor “manual” é a própria Palavra. Ao tentarmos compreender o sentimento de um determinado texto, o melhor que fazemos é compará-lo a outro texto.
Atos 15: 14-15; João 5:46; I Coríntios 2:13; II Pedro 1:20-21.

Todos os demais escritos, interpretações ou propostas de vida com Deus, devem ser provados com comparação criteriosa à Palavra de Deus.
Atos 17:10-12.

O Espírito Santo, que inspirou o registro da Palavra de Deus, é quem deve julgar em nossos corações a respeito de qualquer controvérsia que possa haver.
Mateus 22:29; Atos 28:25; João 16:7-8.

O Batismo

A Palavra “Batizar” significa lavar, mas também tem a conotação de enterrar e de revestir.

Podemos verificar pela Palavra de Deus, que cada um desses significados está presente no que se deve observar na prática do batismo e do que ele representa na vida da Igreja.

O batismo, como “sacramento” na vida da Igreja, é o sinal ou símbolo exterior da graça que Deus operou nosso homem interior.
a) Lavar: Isaias 1:16; Atos 22:13-16; I Coríntios 6:11:6:11; Tito 3:5; Apocalipse 7:14
· O batismo simboliza a purificação realizada em nós pelo sangue de Cristo, mediante a ação do Espírito Santo.
· Toda a “sujeira” do pecado é retida de nossas vidas pela presença de Jesus

b) Enterrar: (sepultar) Romanos 6:1-7; Colossenses 2:12; 3:3,5.
· Significa a morte do velho homem na cruz com Cristo (Mateus 10:38). Essa cruz não tem sentido de tormento, mas de mortificação do nosso “eu”, da nossa vontade.

c) Revestir: Romanos 6:4-8, 13:14; Gálatas 3:27; Colossenses 3:10; I Pedro 3:21.
· Sendo vestidos da santidade e do caráter de Cristo, cobrindo a nossa humanidade.
· Tornados santos e justos pela justiça de Cristo.
· O elemento usado no batismo é a água, que representa a ação do Espírito Santo em nós.
· O rio de vida que sai do trono de Deus e nos lava, purifica e reveste do poder de Deus (Ezequiel 47:1-12; Apocalipse 22:1-3).
· O batismo, em si, nada pode sobre o coração do homem, se não houver a ação do Espírito Santo levando-o a crer (I Coríntios 10:1-5).
· Por fé, posso ter a convicção de que sou santo pela presença do Espírito Santo em mim. O batismo é o sinal externo deste “selo” interno colocado em minha vida para sempre (II Coríntios 1:21-22; Efésios 1:13; 4:30).
· Se eu tenho profunda convicção desta realidade, posso crer que será santo tudo o que estiver sob minha responsabilidade (I Coríntios 7:14).
· As promessas de Deus são para mim e para meus filhos (Atos 2:38-39; 16:14-15 e 31:33).

A Ressurreição

A doutrina da Ressurreição é conhecida do povo de Deus desde Cristo. A Ressurreição é a esperança viva no coração do crente.
Jó 19:25-27

O Novo Testamento refere-se mais à ressurreição do que o Antigo Testamento, porque na Ressurreição de Jesus Cristo evidencia-se o clímax da revelação de Deus sobre esta doutrina.

Existia uma escola de pensadores (saduceus) que não criam na ressurreição dos mortos; porém, Jesus, baseando-se em Êxodo 3:6, mostrou que Abraão, Isaque e Jacó hão de ressurgir dos mortos (Mateus 22:23-33). Cristo ensinou esta verdade com muita clareza.
João 5:25-29, 6:39-40,44 e 54, 11:24-25, 14:3, I Co 15.

O corpo do homem depois da morte converte-se em pó, passa pela corrupção; mas o seu espírito (que nem morre, nem dorme), tendo uma substância imortal, volta imediatamente a Deus que o deu (Eclesiastes 12:7). O espírito do justo, sendo, então, aperfeiçoado na santidade, é recebido no mais alto dos céus, onde vê a face de Deus em luz e glória, esperando a plena redenção do seu corpo; e o espírito do ímpio é lançado no inferno, onde ficará em tormento e em trevas espessas, reservado para o juízo do grande dia final. Além destes dois lugares destinados aos espíritos separados de seus respectivos corpos, as Escrituras não reconhecem nenhum outro lugar.Gênesis 3:19; Atos 3:18, 21, 13:36; II Coríntios 5:1-8; Efésios 4:10; Romanos 8:23; Lucas 24-25.

No último dia, os que estiverem vivos não morrerão, mas serão mudados; todos os mortos serão ressuscitados com os mesmos corpos e não com outros, posto que com qualidades diferentes, e ficarão reunidos em seus espíritos para sempre.
I Tessalonicenses 4:17; I Coríntios 15:42-44, 51-52.

Os corpos dos ímpios serão, pelo poder de Cristo, ressuscitados para a desonra e os corpos dos justos serão igualmente ressuscitados para a honra e para serem semelhantes ao próprio corpo de Jesus Cristo, nosso Senhor.
Atos 24:15; João 5:28-29; Filipenses 3:21.

Santificação

Os que são eficazmente chamados e regenerados, tendo criados em si um novo coração e um novo espírito, são além disso santificados real e pessoalmente, pela virtude da morte e ressurreição de Cristo, pela Sua Palavra e pelo Seu Espírito, que neles habita.

O domínio do corpo do pecado é todo destruído, as suas várias concupiscências são mais e mais enfraquecidas e mortificadas, e eles são mais vivificados e fortalecidos em todas as graças salvadoras, para a prática da verdadeira santidade, sem a qual ninguém verá a Deus.
I Coríntios 1:30; Atos 20:32; Romanos 6:5-6,14; João 17:17; Efésios 5:26 e 3:16-19; Colossenses 1:10-11,28 e 3:16-17; Gálatas 5:24; I Pedro 1:16.
Esta santificação é total, no homem todo, ainda que persistam em todas as partes dele restos da corrupção, e daí nasce uma guerra contínua e irreconciliável – a carne lutando contra o espírito e o espírito lutando contra a carne.
II Pedro 2:11; I Tessalonicenses 5:23; Filipenses 3:12; Gálatas 5:17.
Nesta guerra, embora prevaleçam por algum tempo as corrupções que ficam contudo, pelo contínuo socorro da eficácia do santificador Espírito Santo de Deus, a parte regenerada do homem novo vence e assim os santos crescem em graça aperfeiçoando a santidade no Reino de Deus.
Romanos 6:14 e 7:23; I João 5:4; II Pedro 3:18; II Coríntios 3:18 e 7:1.

Deus - A Trindade

O Conhecimento que podemos ter de Deus é conforme Sua auto-revelação expressa na pessoa de Seu Filho – Jesus, e na orientação do Espírito Santo sobre Sua Palavra. Não nos cabe ir além, e não podemos nos conformar em ficar aquém.
Deuteronômio 29:29

Existe apenas um Deus verdadeiro e vivo, infinito em Seu Ser e perfeições. É cheio de amor, gracioso, misericordioso, longânimo, muito bondoso e perdoa a iniqüidade, transgressão e pecado de modo verdadeiro e eficaz, fazendo tudo por sua própria vontade que é reta e imutável.
João 14: 7-9; I Coríntios 8: 4-6; Tiago 1:7; Deuteronômio 6:1-4; Isaías 44:6;

Deus é trino, ou seja, há a relação de três pessoas na trindade; absolutamente iguais em essência e sendo um só Deus. As pessoas da trindade são: Pai, Filho e Espírito Santo, sendo que o Pai é Deus, o Filho é Deus e o Espírito Santo é Deus. São distintos entre si, através de pronomes pessoais, são iguais em natureza e com função econômica específica.
Mateus 11:25; João 6:27; Romanos 15:6; 1 Coríntios 2:10-11, 8:6; Gálatas 1:1-4; João 1:1 e 18, 15:26, 16:13-14, 17:18-23; 20:26-28; Efésios 2:22; Filipenses 2:6; Colossenses 2:9; II Pe 1:1; Atos 5:3-4.

Há algumas evidências marcantes na operação da Trindade:
Batismo de Cristo: Mateus 3:16-17; Lucas 3:21-22
Ordenança do batismo: Mateus 28:18-20;
Bênção Apostólica: II Coríntios 13:13

Todo poder e glória pertencem a Deus, como também só a Ele pertence à capacidade de criação, e a capacidade de manutenção da vida e das coisas criadas.
Salmos 62:11; I Crônicas 29:11-12; Lucas 1:37; Jeremias 10:12; Isaías 40:18; Neemias 9:6; Salmos 90:2.

A Oração

Texto Chave: 2 Tm 2:1-8

A oração e a Palavra de Deus são inseparáveis, pois através da Biblia, Deus fala com você, e, em oração, você fala com Deus. Como filho de Deus você precisa ter relacionamento com Deus e nesse sentido a oração é fundamental.
Mesmo que você pense que não sabe orar, tente, experimente, fale com Deus, abra seu coração, fale com Ele sobre qualquer assunto de sua vida. Ele, de fato, já os conhece, mas deseja que você fale com Ele sobre eles.

Há diversas maneiras de orar de acordo com os padrões bíblicos. Apesar disso, devemos seguir a simplicidade de coração, não nos prendendo a nenhum ritual, regra ou lei. Deus está interessado na sinceridade de nosso coração e não na beleza de nossas palavras ou na nossa capacidade de seguir rituais ou regras.

A Fé

Fé é o estado de crer propiciado pelo conhecimento de Deus, através da ação do Espírito Santo nos corações e mentes, aplicando neles a Palavra de Deus.  É o estado, porque não se constitui apenas do que podemos “sentir” a respeito de Deus, mas, fundamentalmente, a experiência do que Deus é, e do que somos perante Ele; e é crer, porque se dá como convicção e não como impressão.
Hebreus 11:1-3 e 6; II Coríntios 4:13; Efésios 1: 17-20; Romanos 10:14-17; I Coríntios 1:21.

Por ser estada, a fé torna-se o instrumento usado por Deus para nos colocar na condição de recebermos salvação e graça de suas mãos. Logo, a salvação não se resulta do que fazemos para obtê-la, mas do reconhecimento da realidade de Deus, do homem e principalmente do que Deus fez em Jesus para alterar tudo isto.  Não é o que fazemos, mas o que passamos a ser dentro da perspectiva de Deus. Essa mesma fé não só salva, como também nos habilita a apropriarmos das demais promessas de Deus e nos dispõe a seguirmos seus mandamentos e vontade. É ela que nos leva a aceitar e receber a Cristo e firmar-se só Nele. A fé está portanto, relacionada direta e profundamente com uma nova realidade de vida, que é gerada no coração do homem, pela ação do Espírito Santo.
Efésios 2:8-10; Romanos 1:16-17 e 6:11; I Tessalonicenses 2:13; I João 5:10; Atos 24:14; João 14:11-21 e 16:7-14

Cristo é o autor e consumador da fé (Hebreus 12:2) e o alvo dessa fé deve ser:

  • Deus (João 14:1);
  • Cristo (João 6:29; Atos 20:21);
  • Escritos de Moisés (João 5:46; Atos 24:14);
  • Escritos dos profetas (II Crônicas 20:20; Atos 26:27);
  • Evangelho (Marcos 1:15);
  • As promessas de Deus (Romanos 4:21; Hebreus 11:13).

E por meio da Fé, nós recebemos:

 

  • Remissão dos pecados (Atos 10:43; Romanos 3:25);
  • Justificação (Atos 13:39; Romanos 3:21, 28 e 30; Gálatas 2:16);
  • Salvação (Marcos 16:16; Atos 16:31);
  • Santificação (Atos 15:9 e 26:18);
  • Herança das promessas (Gálatas 3:22; Hebreus 6:12);
  • Dom do Espírito Santo (Atos 11:15-17; Gálatas 3:14; Efésios 1:13);
  • Justificação pela fé, para que seja pela graça (Romanos 4:16);
  • Sem Fé é impossível agradar a Deus (Hebreus 11:6)
)

Homem: Criação e Queda

Após criar todas as demais coisas, Deus criou, no sexto dia, o homem e a mulher com almas racionais e imortais, dotou-nos de inteligência, retidão e perfeita santidade, segundo a Sua própria imagem, tendo a lei de Deus escrita em seus corações e o poder de cumpri-la, mas com a possibilidade de transgredi-la, sendo deixados à liberdade da sua própria vontade, que era mutável.

Gênesis 1:27-31 e 2:7; Salmos 8:4-5; Eclesiastes 12:7; Colossenses 3:10.
O homem e a mulher, seduzidos por satanás, pecaram, desobedecendo a Deus, em relação a árvore do conhecimento do Bem e do Mal. Por este pecado, eles saíram da sua retidão original e da comunhão com Deus e assim, se tornaram mortos em pecado e inteiramente corrompidos em todas as faculdades e partes do corpo e da alma.
Gênesis 2:16-17 e 3:1-13; Romanos 3:23; II Coríntios 11:3; Efésios 2:1-3; Tito 1:15.
Sendo eles o tronco de toda a humanidade, o delito dos seus pecados foi imputado aos seus filhos; e a mesma morte em pecado, bem como a sua natureza corrompida, foram transmitidas a toda a sua posteridade, que deles procede por geração ordinária.
Atos 17:26; Romanos 5:12-19; I Coríntios 15:21-22; Salmos 51:5; Gênesis 5:3.
O pecado, a transgressão da justa lei de Deus torna culpado o pecador e, por sua culpa, ele está sujeito à ira de Deus e a maldição da lei e, assim, exposto à morte com todas as misérias espirituais temporais e eternas.
Romanos 2:15; 3:9-19 e 6:3; Efésios 2:3; Gálatas 3:10; I João 3:4.
Share This